TJ/RS: Realizada primeira sessão totalmente pelo sistema eproc

Foi realizada no último dia 12/6 a primeira sessão de julgamento exclusivamente pelo sistema eproc no TJ. A 8ª Câmara Cível, que tem competência para processos da área de família, sucessões entre outros, julgou 13 processos. Na ocasião, três advogados proferiram sustentação oral.

Na avaliação do Desembargador Rui Portanova, Presidente da 8ª Câmara Cível, o eproc facilita o trabalho. “É um sistema bom de trabalhar, inclusive, por sua linguagem, com poucas palavras técnicas.”

A Secretária da 8ª Câmara Cível, Marcela dos Santos Barbosa, destacou que a sessão do eproc foi uma surpresa muito positiva e que tudo ocorreu de forma bastante organizada. “Os processos pautados são divididos em abas, e através delas o Presidente da sessão escolhe a ordem dos processos que serão julgados. Então, é possível visualizar em uma aba os processos que possuem pedido de preferência ou sustentação oral, em outra os processos em que há projeto de divergência.”

Outro destaque apontado pela secretária é que após o encerramento da sessão, não há mais necessidade de serem gerados documentos, como acontecia no Themis (tiras e ofícios), “o que demandava um enorme tempo pós-sessão”. Com o sistema eproc, em questão de poucos minutos encerra-se a sessão depois da validação dos julgamentos.

Também participaram da sessão os Desembargadores Luiz Felipe Brasil Santos, Ricardo Moreira Lins Pastl e José Antonio Daltoé Cezar, a Procuradora de Justiça Marisa Lara Adami da Silva e servidores da Direção Judiciária.

O eproc foi criado e cedido gratuitamente pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJ/RS)

Deixe uma resposta

Fechar Menu